Ket Luzz

05/06/2020

KET LUZZ NO G1 - SANTA CATARINA QUE DÁ CERTO

Há pouco tempo a palavra sustentabilidade era apenas uma tendência. Hoje ela já está presente em diversos segmentos, inclusive no universo da moda, em que empresas buscam reduzir os poluentes na produção de roupas, sapatos, acessórios e demais produtos, a fim de gerar um impacto menor ao meio ambiente. Com a adoção de medidas sustentáveis empresários podem transformar a empresa e o ambiente ao seu entorno.

Um casal de Taió, ambos egressos do mercado publicitário, decidiu investir há cinco anos, em um conceito que era pouco conhecido pelos brasileiros, a moda sustentável. Neste período até a abertura da Ket Luzz em 2017, Ketlin e Ivan da Luz fizeram a construção da identidade e a idealização da loja virtual sempre focados no segmento da moda sustentável.

Nossa principal matéria-prima é a madeira, oriunda de florestas plantadas, com manejo sustentável e também fazemos o uso das de demolição e sobras de marcenaria – destaca.

Para fazer os acabamentos das peças em madeira o casal utiliza óleos naturais, biodegradáveis e de fontes renováveis. Já os tecidos e barbantes são reciclados, produzidos a partir de resíduos têxteis em processos que não utilizam produtos químicos ou água.

– Priorizamos por fornecedores nacionais com políticas ambientais claras, e sempre que possível, próximos à nossa região, isso minimiza até mesmo os impactos causados pelo transporte do produto – ressalta.

Atualmente as vendas da empresa são feitas através da loja online e em alguns marketplaces focados em moda sustentável. No começo deste ano o casal participou de um programa de qualificação para exportação e pretende iniciar a exportação até 2020.

Ateliê Ket Luzz

– Este foi o primeiro passo, agora, no segundo semestre, vamos focar em identificar os mercados-alvo. Mas em uma pesquisa preliminar, o mercado americano parece ser promissor para o setor, com alguns benefícios ligados a produtos de madeira – adianta.

Desafios para manter uma empresa com consumo consciente?

Abrir uma empresa com foco no consumo consciente pode ainda ser um desafio. Afinal é preciso encontrar fornecedores e matérias primas que estejam alinhadas com o propósito do negócio. Outro detalhe é que são poucas as empresas dispostas a vender em pequenas quantidades, o que, segundo Ivan, é sempre um problema para quem está começando.

– Como estávamos criando algo novo, encontrar parceiros para terceirização dispostos a sair de sua zona de conforto e que acreditassem no projeto foi um dos grandes desafios enfrentados. Na verdade, em cada fase da empresa novos obstáculos surgem, é uma característica inerente ao empreendedorismo, principalmente no Brasil – completa.

Para quem pensa em exportar, o que deve fazer?

Um dos planos de muitas empresas é entrar no mercado internacional. No entanto, antes de tudo é preciso ter uma série de cuidados. Por isso, elencamos duas dicas essenciais para quem está querendo começar a exportar:

1 – Conheça os limites: para que você não dê um passo maior do que as pernas é preciso fazer uma análise da situação da empresa e se ela tem capacidade de atender os dois mercados. Só depois é que devem começar a pesquisa dos possíveis compradores;

2 – Buscar apoio: os primeiros negócios nem sempre são fáceis, uma sugestão é acessar os sites da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), ambos apresentam informações para exportadores que estão começando.

Para conhecer mais histórias de sucesso em Santa Catarina, acesse o SC Que Dá Certo.

Matéria original: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/sc-que-da-certo/noticia/2019/07/25/moda-sustentavel-empresas-apostam-em-produtos-de-baixo-impacto-ambiental.ghtml